O pavilhão de argila de Álvaro Siza, no México, promove o conhecimento e as técnicas de argila



O arquitecto português Álvaro Siza, vencedor do prémio Pritzker, concluiu um pavilhão que promove o conhecimento e as técnicas de manuseamento de argila em Puerto Escondido, Oaxaca, México .


Batizado de Pavilhão Clay, o pavilhão de 140 metros quadrados foi projetado para a Fundação Casa Wabi para incentivar, gerar conhecimento e novas habilidades para as crianças da região. Esta é a primeira obra de Álvaro Siza construída no México.



O pavilhão, com telhado de palha, é um novo lar para as crianças que moram na área e oferece um espaço para ensinar as técnicas locais do barro em Oaxaca. O pavilhão também hospeda artistas locais e mundialmente renomados para o programa de residência em argila da Casa Wabi.



“Os funcionários da Casa Wabi identificaram que o ensino da técnica e do processo de manuseio da argila seria uma ferramenta muito positiva para a comunidade, por se tratar de uma técnica ensinada há gerações”, afirma na descrição do projeto.


Graças a esta iniciativa, a Fundação Casa Wabi convidou o consagrado Álvaro Siza para desenhar um pavilhão para ensinar o manuseio deste material.



O projecto centra-se num "Palapa" principal (edifício com cobertura em palmeira), onde é ministrada a modelação do material e expostas as peças resultantes das oficinas, tem também armazém, edifício sanitário e forno .



Todo o programa está contido em uma parede de tijolos em forma de semicírculo encerrando um pátio para o forno de barro. O Palapa principal tem 7m de altura, incluindo mesa de concreto aparente de 6x2m, ideal para trabalhos manuais.



A parede curva de tijolos tem oito metros de diâmetro e, em conjunto com outra parede em forma de L, são criadas duas salas para guardar utensílios de cerâmica e argila.



A construção foi feita com tijolos vermelhos recozidos, estes tijolos têm medidas especiais, para poderem cumprir a sua obra estrutural. Uma "palapa" cobre o espaço e sua forma se assemelha às estruturas medievais de madeira na Europa.













Planta do local



Desenho axonométrico



Elevação


Kengo Kuma também projetou um galinheiro feito de tábuas de madeira queimada no México para a Fundação Casa Wabi.


A Fundação Casa Wabi, criada em 2014 pelo artista mexicano Bosco Sodi, é uma organização civil sem fins lucrativos que visa promover a colaboração e o compromisso social por meio da arte.


Em 2016, o arquiteto japonês Tadao Ando projetou um centro de artes para a Fundação Casa Wabi, enquanto o complexo é enriquecido com outros projetos, como o Pavilhão de Argila do arquiteto português Álvaro Siza, o Pavilhão Guayacán de Ambrosi Etchegaray e um Pavilhão do estúdio paraguaio Gabinete de Arquitectura .


Fatos do projeto


Área: 140 m2


Arquiteto: Alvaro Siza Viera.


Arquiteto local: BAAQ '/ J. Alfonso Quiñones.


Arquitecto Líder no Porto: Clemente Meineres.


Equipe BAAQ ': Inca Hernández, Itzae Carrasco, Alfonso Sodi.


Construção: Mario Conde.


Projeto estrutural: Alfonso Sodi.


Instalações: Heriberto Carmona.


Líder da construção: José Ramírez.


Palapas: David Jiménez.


Carpintaria: Javier Gomez.


Localização: Puerto Escondido, Oaxaca, México.


Todas as imagens © João Morgado

23 visualizações0 comentário